segunda-feira, 16 de março de 2009

Tchubaruba o escambau.

Eu até apertaria as bochechas pimponas da Mallu Magalhães e ofereceria um bubaloo de morango (se eu fosse de apertar bochechas e de andar com bubaloo de morango nos bolsos), mas daí a essa pagação toda em torno dela e da sua suposta fenomenalidade musical cult, ai, por favor, valham-me!

Deixemos primeiro a pequenina concluir a fase de aquisição de linguagem (em português e em inglês), concluir o catecismo e essas coisas todas. O que não dá é abrir um site pra ler notícias e ver 547 links falando sobre a vida pessoal e (não) musical da bonitinha. E a do Camelo eu já saquei qual é: aproveitando o sucesso de outros cantores que se deram bem recorrendo à temática infantil (como a Adriana Calcanhotto e o Arnaldo Antunes), o barbudo está fazendo uns laboratórios com essa mocinha pra entender a mente dos pequenos. Ou, se não for isso, que se dane. Fato é que é chato pra caramba ficar acompanhando essas novelas publicitárias por osmose, raios! O Brasil anda tão carente (e mal) de ídolos assim?