quarta-feira, 8 de abril de 2009

I've got the power.

Acho impressionante a síndrome de pop star que acomete a população bonita e brasileira nos últimos tempos. É incrível como as pessoas mais anônimas e perdedoras da face da terra se sentem vitimadas pelo sentimento de cobiça alheia. Na verdade, a coisa toda funciona mais como marketing: digo a você que me invejam e desejam, e você vai se informar sobre quem eu sou - relação que explica muito sobre a atual modinha de celebridades acéfalas e inoperantes supercultuadas (por que mesmo?).

E, assim, o cidadão comum assumidamente loser e anônimo, como eu, tem de conviver com figuras que o abordam nos consultórios médicos, nas filas de banco e do supermercado falando sobre o quão vitimados são por esse câncer do universo, tentando provar, por a+b, os motivos surreais que os fazem ser tão power.

A solução: jamais sair de casa sem um livro, um fone de ouvido e uma boa música.