quinta-feira, 16 de abril de 2009

A pegadinha do Mallandro me persegue.

É claro que aquele telefonema - prometendo um projeto megalomaníaco que me faria desfrutar de fama, poder, barras de ouro que valem mais do que dinheiro e, principalmente, daquela tão sonhada poltrona que tornaria os meus dias de proletariado alternativo mais doces (ok, menos, bem menos) - não deu em nada. O pior: nem ligaram mais pra dar uma satisfação. Porque comigo é assim: uma pegadinha do Mallandro após a outra.

Prazer, esta é a minha vida.