quarta-feira, 27 de maio de 2009

Jeito morsa de ser.

Um amigo ligou hoje na caruda só pra perguntar por que diabos eu o bloqueei no MSN - e esta deve ser a 765ª vez neste ano que um amigo me cobra desbloqueio já (momento merchan: Oi, livre). Porque é assim: eu tenho a injusta fama de bloquear as pessoas no MSN, quando, na verdade, eu praticamente não o uso. E aí ninguém acredita, porque parece surreal qualquer criatura em pleno século 21 não interagir com a rapaziada cibernética e descolada. Mas assim sou eu: não tenho Orkut, Twitter. Uso raramente o MSN, não uso Skype. A e-civilização caminha a passos de Revolução Russa por aqui, só isso. No caso específico do MSN, eu simplesmente não sei lidar com esse lance de conversar simultaneamente com várias pessoas. Pra mim, é algo como juntar em uma sala 10 amigos que não têm nada a ver um com o outro e conversar assuntos totalmente diferentes ao mesmo tempo. Babel total. Sou hiperativa, mas não vejo por que estender isso a minhas relações pessoais. Não tenho muitos amigos, mas faço questão de tratar com toda a atenção possível os que tenho. Vejo pouco a rapaziada, mas quando vejo é pra valer. Pra abraçar, falar bobagem, rir, dançar, comer uma pizza. Sem hora, sem pressa. O máximo da interatividade virtual pra mim é ter este blog, que mantenho porque falo pouco no cotidiano, então escrever vale como minha forma de falar. Pra não enlouquecer. E aí há quem reclame por não ter espaço pra interatividade, mas isso acontece justamente porque me incomoda a necessidade de juízo rápido das pessoas - o que ocorre nesses meios cibernéticos todos dos quais não faço parte. É só isso. Nada a ver com querer mal a rapaziada, não, muito pelo contrário. Este é só o meu jeito morsa de ser.