terça-feira, 15 de setembro de 2009

O show de Luciana.


O legal da minha vida é que ela é tão bipolar quanto eu. Assim, da mesma forma que ontem eu estava morrendo de gripe, estressada, desolada, pessimista e o dia estava cinzento, chuvoso, com zilhões de cachorros latindo alucinadamente na rua e tragédia psicológica atrás de tragédia (o que quer que isso signifique), hoje acordei apenas com um leve resfriado, sol na janela, passarinhos cantando como se a vida fosse um take musical da Branca de Neve e com o principal compromisso de fechar um frila com a editora de uma puta revista bacana. À tarde, almocei em um café fabuloso, recebi os telefonemas mais ternurinhas do universo e agora estou em casa, com a noite livre pela frente e com o plano único de assistir a um filme que um amigo me emprestou há décadas.

Porque a produção do meu programa barbariza bonito às vezes, mas também sabe fazer aquele afago gostoso de vez em quando.