sexta-feira, 20 de novembro de 2009

The only ones I see are mannequins.

Quando você conhece umas tantas pessoas que lhe indicam produtos tão naturalmente quanto a Carolina Dieckmann fazendo propaganda da Marisa, outras tantas que parecem estar lendo um teleprompter enquanto falam com você e mais uma rapaziada que age como se a vida fosse um comercial da Sorriso mesmo em funerais não resta outra opção se não achar que tudo não passa de uma pegadinha do Mallandro versão estendida, e eu levo, desde sempre, essa ideia às últimas consequências. Afinal, ninguém pode ver tanta coisa estranha no mundo e achar que é mero acaso.