sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Sustentabilidade, micoses, Bienal e a luta por uma reencarnação digna.

É difícil pensar em como montar um lar decente com recursos parcos. Estou pensando em algo como fingir que sou ecologicamente correta e fazer cortinas de papelão e embalagens antigas (o que daria um ar retrô e ao mesmo tempo funcionaria como uma espécie de crítica juvenil e duvidosamente bem-humorada contra o capitalismo desenfreado) e fazer meia dúzia de pufes com plástico bolha, restos de esponjas e camisetas velhas de bandas ruins e desconhecidas. Como um piso decente custa uma fortuna, lil' fish e eu poderíamos colocar grama natural no apartamento todo e encher de orgulho a rapaziada que prega uma vida mais natural e sustentável. Mas o fato é que sou alérgica, tenho um senso mínimo de dignidade e não quero encher as visitas de constrangimento e micose - embora tal façanha possa me render uma boquinha na Bienal e o respeito de toda a intelligentzia brasileña.

O universo está de sacanagem comigo, mas anotem aí: na próxima encarnação eu vou à forra. Ah, se vou.