terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Karma fail.

Na série My Name is Earl, um sujeito que passou a vida inteira sendo sacana decidiu - após ser atropelado e perder o seu bilhete premiado de loteria - ser um espírito do bem e reparar tudo de ruim que fez ao longo de sua vida. Isso porque, enquanto ele se recuperava do acidente, assistiu a um programa de tevê que falava sobre os malefícios cármicos que uma vida do mal pode trazer. Assim, ele faz uma extensa lista e começa a reparar cada mínima tramoia feita - desde furtos a sacanagens com conhecidos - e é "recompensado", dentre outras coisas, com o reaparecimento do bilhete premiado. Enfim, toda uma mensagem positiva de que só o bem constrói e de que devemos estar sempre atentos ao nosso karma blá-blá-blá etc. Daí que nos últimos tempos estou tentando aplicar essa nobre filosofia ao meu estilo de vida: estou gorda, ok, então vamos dar suco de soja e alface orgânica para meu organismo para que meu corpo se reverta em alguma forma ao menos próxima da humana; ando sedentária, ok, então vamos aposentar o carro e bancar o andarilho urbano, para ao menos poder pegar o tênis debaixo da cama sem estropiar a coluna e romper os tendões; sou fatalista, ok, então vamos fingir que a vida é uma plateia de domingo adestrada e sorrir loucamente pelas ruas como se tudo fosse absolutamente normal e divertido. O problema é que, ao contrário do que acontece na série, não há compensação por aqui. Continuo disforme, cansada e cheia de sentimento sartriano no coração. Então, no fim das contas, acho que a mensagem principal disso tudo é a de que o meu karma já desistiu de mim há tanto tempo que pouco importa o que eu fizer daqui para frente. Ou, então, a grande revelação é a de que preciso passar os próximos 50 anos reparando todos os prejuízos astrais que meu comportamento precário trouxe a esta minha encarnação. Caso eu considere esta hipótese, só me resta torcer para que na próxima vida eu não reencarne como um cogumelo, para poder desfrutar um pouquinho que seja de meus atuais esforços em prol de uma existência digna e saudável.