quarta-feira, 19 de maio de 2010

Guia social para o século 21.

Cansada de observar a vergonha alheia que é a vida em sociedade, compilei alguns dos meus pensamentos cotidianos mais frequentes.


Parado no semáforo

Surpreenda o bandido: assalte-o primeiro.


“Adoro programas culturais”

Morra.


Dando pinta de negão

Você é um branquelo insosso e desajeitado, pare de envergonhar a humanidade.


Fazendo a moça de família

Nós sabemos como você pagou a faculdade, e daí? Só não tente me convencer que foi trabalhando na AACD.


Vida amorosa?

Você é feio, tosco, foi impiedosamente vítima de bullying quando bullying nem era bullying, mas venceu na vida para poder gritar com a rapaziada sem tomar voadora, apesar da estatura napoleônica e das têmporas proeminentes. Ela, obviamente, te trai. E, não, o filho não é seu.


Cidadão do mundo

Precisa contar a cada cinco segundos sobre sua pífia estadia em Milão? Perdedor.


À noite

Você não é descolado se precisa provar que é descolado.


No escritório

Seu gato entrou em depressão profunda e você, solidário ao seu fiel companheiro, decide abrir mão de um dia em seu trabalho medíocre para fazer companhia ao bichano. Totalmente nobre, na minha opinião, mas uma mentira descarada e nonsense na opinião de seu chefe. Isso ilustra o quanto a verdade nem sempre é conveniente. Dizer que teve seu cartão clonado dezenove vezes por uma quadrilha internacional e que isso exigiu de você um dia inteiro de mobilização causará comoção e animará seu chefe a passar metade do dia elaborando e repassando e-mail a todos os contatos contando a sua saga (essa, provavelmente, é a origem de 99% das correntes e spams).


Na pista

Dançar é a arte de não se importar. Se você se importa, fique sentado.


Cada um no seu quadrado

Segregação é o medo da pobreza. Da sua pobreza.


Tendências da moda

A moda é quem faz; quem segue é tosco.


We are the champions, my friend!

Compra-se o diploma, não o cérebro.


“Não sei mais o que fazer no trânsito, dá um desespero, sabe? Como dirigir sem ficar estressada? Como evitar os impulsos assassinos e as ideias recorrentes de extermínio em massa com requintes de crueldade?

Gaita-de-fole.


No cinema

Entenda em silêncio.


Intelectual modesto

Você não é.


“Sou blogueiro”

O novo “estudante” dos formulários de pesquisa.


Respostas ofensivas a perguntas escancaradamente cretinas

O silêncio é sempre autoexplicativo.


"Estou ao seu lado em tudo hihihihihi"

"Não tenho opinião própria hihihihihi"


Todas as cartas de amor são ridículas

O amor é sempre cego. Do contrário, é ódio.


"Uma enciclopédia viva"

Você não é inteligente; é bem-informado.