quarta-feira, 16 de junho de 2010

Ninguém o bastante.

Tem um filme de que gosto muito em que uma personagem diz que você sempre é um superstar para aqueles que te amam. Como eu não sou ninguém, e tenho plena consciência disso, esse é um critério que uso para selecionar as pessoas com quem quero me relacionar (amigos, familiares, namorados). Não é uma questão de autoestima ou egocentrismo; é uma questão de como as coisas devem ser. Ninguém pode ser especial se não houver quem lhe mostre isso, e eu já sou ninguém o bastante para mim mesma.