segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Ponto-e-vírgula, eu te amo.


Bastou subirem um vídeo em que Kurt Vonnegut diz, em tom cômico, que o ponto-e-vírgula não deve ser usado por iniciantes (entre outros conselhos) para que cada futuro best-seller coelhesco ao redor da galáxia tenha um novo pretexto para desprezar um pouco mais a gramática, essa desconhecida. Senta aqui, ponto-e-vírgula, eu te amo. Esses spams não calarão o nosso amor.

(Aqui, um artigo bem bacana sobre o tema.)