quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Teu grandioso nome não paga minhas grandiosas contas, ó filisteu.


Ser frila é acordar em determinadas manhãs, receber determinados telefonemas e pensar que determinadas empresas deveriam convidar o bom senso para um cafezinho antes de fazer determinadas propostas. Enquanto isso, tento decidir se compro o agrião ou o requeijão cremoso. Porque, no final das contas, ser frila é viver de escolhas. Muitas vezes ruins.