segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Maria da Penha agradece a sua colaboração.

Ontem foi dia de participar da festa da democracia (sic) como mesária, o que me deu o direito a assistir, de camarote, à boa vontade do povo brasileiro em participar deste evento bacana, deste evento maneiro: alguns eleitores tentaram desistir de votar antes de completar a segunda sequência ("cancele o resto aí pra mim, moça, isso aqui enche o saco!"), uns tantos entraram com os santinhos jogados pelas ruas ("peguei isso aqui no chão, tanto faz mesmo"), e outros acharam que seria um ato de cidadania alertar o restante da fila para a importância do Tiririca na Câmara ("pelo menos ele não vai roubar, pensa bem nisso!"). E, por fim, um número considerável achou conveniente sequer comparecer - conduta que eu acho bem digna, diga-se de passagem.

De minha parte, apesar de a Marina estar fora da disputa (de maneira mais grandiosa do que as pesquisas indicavam, como eu suspeitava) e de o Ricardo Young não ter sido eleito, tive o prazer de ver ao menos quatro bons candidatos a deputados federais eleitos por SP, ver Luan Santana old school face fora da Câmara e de constatar que "mulher de malandro" é um conceito que os paulistanos ainda não aplicaram às candidaturas do senado. Ainda há salvação.