terça-feira, 19 de outubro de 2010

Mosca sem asas.

Ontem dois adolescentes conversavam no metrô sobre o que é política. Um dizia que ser politizado é ser bem informado, entender de economia; outro dizia que, para ele, o principal é ser ativista, protestar.

Eu, basicamente, acredito que política parte sempre do individual para o coletivo, nunca o oposto. Entender os problemas sociais começa por entender muito bem os seus próprios problemas e se mobilizar para solucioná-los. O coletivo acaba sendo uma consequência.

Além disso, sempre que penso no tema lembro deste poema, do qual gosto muito:

Despertar é preciso - Eduardo Alves da Costa

Na primeira noite, eles se aproximam e colhem uma flor de nosso jardim,
e não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem;
pisam as flores, matam o nosso cão, e não dizemos nada.
Até que um dia o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua e, conhecendo o nosso medo, arranca-nos a voz da garganta.
E, porque não dissemos nada, já não podemos dizer nada.