sexta-feira, 8 de outubro de 2010

SP subway week.

Adoro o metrô de SP porque não está escrito o número de situações diferenciadas que se vê catraca adentro.

Os hits desta semana foram:

1. Meia-calça no lugar de calça - Eu já havia notado uma minitendência de as pessoas usarem meia-calça ou afins como se fosse calça, mas achei que eu estivesse louca. Não, as pessoas estão loucas. O próximo passo é usar sutiã como se fosse top no verão. Tenho medo, Regina.

2. Tatuar apelidos - Esta semana vi dois apelidos tatuados em mocinhas: uma tinha "Gabis" escrito no braço, em letras dignas de um semianalfabeto; a outra, "Mona", tatuado no ombro. Está longe de causar o mesmo impacto que ver uma coxa de frango tatuada me causou, mas merece a nota.

3. Disfarçar velhice com ignorância - Entra uma senhora, nitidamente bem idosa (apesar do cabelo vermelho-fogo e do agasalho justinho com temática surf), e um rapaz cede lugar no vagão. A mulher pergunta se o rapaz é retardado ou cego e, por fim, conclui que ele é as duas coisas. O rapaz abaixa a cabeça e senta, confuso.

4. "Meu pai me expulsou de casa porque eu o vi traindo minha mãe" - Antes as pessoas simplesmente pediam dinheiro; depois, passaram a dizer que tinham o dinheiro, mas foram roubadas e precisavam chegar a determinado lugar; agora, narram enredos completos para sensibilizar o interlocutor. O mais curioso é que, quanto mais articulado e bem-vestido um pedinte é, mais comoção causa. A catarse sempre passa a perna na realidade.

5. Chorando no cantinho - Sempre há alguém chorando ou com olhos marejados, olhando pela janela ou para o visor de um celular. Nos vagões vazios ou entre a multidão.